Chocado com violência, público abandona sessão de filme sobre Holocausto no Festival de Veneza

Por Anna Rios
Cena de "The Painted Bird": filme foi feito em preto e branco

BLOG

Mundo Itapema

"The Painted Bird" impressionou com a fidelidade em cenas de agressões físicas e sexuais e mutilação

Por GaúchaZH

A exibição de um filme no Festival de Cinema de Veneza provocou a saída de parte do público que assistia à sessão. The Painted Bird, longa tcheco-eslovaco-ucraniano dirigido por Václav Marhoul, conta a história do Holocausto na visão de um menino judeu. 

Segundo relato do crítico de cinema Xan Brooks, do jornal The Guardian, o filme impressionou por conta da fidelidade nas cenas de violência, agressões físicas e sexuais e mutilação, deixando a plateia em choque.

Estrelado por Harvey Keitel, Stellan Skarsgård e Udo Kier, o longa acompanha um garoto judeu sem nome, chamado apenas de Boy (Petr Kotlar), que foi deixado com uma idosa pelos seus pais durante a Segunda Guerra Mundial. Quando a senhora morre, o menino passa a vagar por vilas, encontrando diferentes pessoas e passando por diversas situações.

Um dos momentos em que parte da plateia se retirou foi quando um homem arrancou os olhos de um adolescente.

— Posso afirmar, sem hesitar, que este é um trabalho monumental e estou profundamente feliz por ter visto. Também posso dizer que espero nunca cruzar seu caminho novamente — relatou o crítico de cinema ao jornal britânico.

The Painted Bird foi todo feito em preto e branco. O filme é uma adaptação do romance de Jerzy Kosiński, de 1965. O título faz referência ao momento em que pássaros começam a picar a cabeça de um menino, enterrado no chão sem possibilidade de defesa. Segundo Brooks, o filme mostra o incidente com detalhes terríveis e completos. 

Ainda não há previsão de estreia no Brasil.

Cartaz do filme mostra cena do menino e do pássaroFoto: Divulgação

Matérias Relacionadas