Exclusivo! Cantora russa Maya Fadeeva fala com a itapema

01.11.2019 | 13h49 - Atualizada em: 02.11.2019 | 10h54
Leo Almeida
Por Leo Almeida
Maya01divulgação

BLOG

Giramundo

Maya Fadeeva conversou com a itapema com exclusividade sobre sua carreira e o novo single 'Freakin Out', lançado hoje na programação.

Ela é o novo nome da música alemã, uma cantora e compositora como poucas. Maya Fadeeva, nasceu em São Petersburgo, Rússia, cresceu em Nova York, estudou canto e finalizou o bacharelado em música no Conservatório de Maastricht na Holanda em 2015, e atualmente vive em Cologne, Alemanha. Depois de se apresentar em festivais e competições de jazz e algumas aparições na TV alemã, a artista cidadã do mundo, lançou seu primeiro álbum de estúdio "Chamëleon" (2018), junto com um dos expoentes do Nujazz alemão, Club Des Belugas.

Maya02divulgaçãoFoto: divulgação

"Chamëleon" apresenta um olhar estilístico para o celebrado NuJazz alemão, temperado pelo soul, swing vintage, blues e electro - e toda essa mistura dialoga em sintonia com o som ensolarado do reggae. Deslizar com elegância e qualidade entre todos estes estilos não é para qualquer um. Pode-se dizer então que o álbum veste perfeitamente seu título.

Agora Maya está de volta com um novo single, 'Freakin Out'. Convidamos a cantora e compositora para nos conceder uma entrevista exclusiva e a artista prontamente aceitou. Na verdade essa história começou através de uma ouvinte da itapema chamada Roberta Silva. Depois de descobrir a arte de Maya na rádio e conversar com a cantora nas redes sociais, Roberta logo nos colocou em contato. Obrigado Roberta. Com a palavra, Maya Fadeeva.

- Maya, como surgiu este encontro com o Club Des Belugas que resultou em seu álbum de estreia?

Eu sou uma grande fã do Club Des Belugas: sempre admirei o som único deles, os arranjos minimalistas e a mistura perfeita de sonoridades vintage e modernas. Em 2016 eu decidi gravar um álbum com minhas próprias canções e estava procurando por um produtor com quem trabalhar. Então lembrei do Club Des Belugas e pensei: "Por que não perguntar para eles?" O estilo deles combinava perfeitamente com as minhas músicas! Encontrei o produtor Maxim Illion no Facebook e mandei uma mensagem para ele. Mas aqui é que vem a parte mágica: Illion não viu minha mensagem, porque na época não éramos amigos no Facebook; mas de alguma forma ele viu um vídeo que eu havia postado, também no Facebook - e achou que eu combinava perfeitamente com o Club Des Belugas. Illion falou com seu guitarrista a respeito e ele achou a mesma coisa. Então Illion abriu o messenger para tentar me contatar, e viu a mensagem que eu havia enviado antes! Não é uma loucura? Foi assim que aconteceu.

- Qual a sensação de sua música atravessar o atlântico e vir parar numa rádio do Brasil?

É um sonho realizado. Eu nunca quis que minhas músicas ficassem apenas na Europa: é por isso que eu canto em inglês, para dar uma chance a elas de se tornarem globais. Eu absolutamente amo o Brasil: me sinto nostálgica quando ouço músicas brasileiras, como se o Brasil tivesse sido meu país natal em uma vida passada. Aliás, meu rosto não é muito "tipicamente russo" - e, quando eu peço para as pessoas adivinharem de onde eu sou, muitas dizem que acham que eu vim do Brasil! Eu nunca estive aí, mas quero muito fazer uma turnê no Brasil um dia.

- Nossos ouvintes receberam muito bem o seu trabalho assim como outros artistas do selo Chinchin Records. Como é o planejamento de divulgação de novos artistas como você?

Max Illion é o proprietário da Chinchin Records e ele promove todos os artistas da mesma maneira. Eu tenho certeza de que seria muito mais difícil para a minha música se espalhar sem a Chinchin Records e o Club Des Belugas, porque eles já têm um monte de ouvintes apenas esperando suas novas canções. É muito importante que novos artistas tenham apoio de músicos e selos já estabelecidos - senão, pode ser uma longa jornada até o reconhecimento.

- Você é uma cantora dos palcos mas também é uma artista dedicada aos estúdios. Se você tivesse que escolher entre o processo criativo do estúdio e a entrega ao vivo nos shows, o que mais te encanta?

Esta é uma pergunta muito difícil. Será que eu realmente consigo escolher só um? Eu amo os dois de paixão. Mas eu não consigo ficar na estrada por um tempo muito longo: dois meses de turnê é o suficiente por um ano inteiro, ou eu fico louca. O resto do tempo eu gosto de passar no estúdio. Mas eu não veria a menor graça em nenhuma dessas partes se a outra também não estivesse presente! Agora minha agência está planejando uma turnê pela Alemanha, começando em 9 de outubro de 2020, quando meu novo álbum vai ser lançado. Eu espero que minha próxima turnê passe pelo Brasil!

- Seu novo single estreia com exclusividade na itapema. Como foi escolher o tema 'Freakin Out'?

Essa canção é a que melhor representa a atmosfera do disco como um todo. Soa cool e sexy, mas ao mesmo tempo tem uma mensagem mais profunda escondida na letra. Eu considero "Freakin Out" a melhor canção que eu já escrevi: ela veio de uma inspiração muito forte e eu estou muito empolgada para compartilhá-la com o mundo. Obrigada por tocar minhas músicas Itapema!

Agradecimento especial: Marina Martini Lopes - tradução

Matérias Relacionadas