Mostra Curtas Mercosul vai exibir filmes selecionados entre mais de 600 inscritos

Por Anna Rios
Cabrita_sin_cuernos

BLOG

Mundo Itapema

A Mostra tem 23 filmes inscritos

Os 23 filmes em competição na Mostra Curtas Mercosul do FAM 2019 vêm de oito países (Brasil, Colômbia, Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Venezuela e Peru) e foram selecionados entre 614 produções inscritas. São obras de ficção, documentário, musical e animação. Do Brasil participam filmes do Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Ceará, Pernambuco e Bahia. Entre os estrangeiros, o maior número de produções vem da Argentina (7), Colômbia (3) e Paraguai (2).

Os curtas brasileiros tratam de temas como cultura e identidade negra (Poesia Azeviche, de Ailton Pinheiro Junior, da Bahia, documentário sobre compositores de tradicionais blocos afro), os sonhos da velhice (A Volta para Casa, de Diego Freitas, que tem como protagonista o ator Lima Duarte, aos 89 anos, como um marceneiro aposentado que vive numa casa de repouso e vai visitar sua antiga casa), gênero e identidade sexual (os documentários Majur, de Rafael Irineu, sobre uma indígena LGBTQ+, que cuida comunicação em uma aldeia no interior de Mato Grosso e Aqueles Dois, de Émerson Maranhão, do Ceará, que retrata dois homens transgênero, um enfermeiro e outro pesquisador).

Três deles são dirigidos por mulheres, a animação Apneia, de Carol Sakura e Walkir Fernandes, do Paraná, vencedora do prêmio de Melhor Curta-Metragem Brasileiro pela associação de críticos do Rio de Janeiro no 27º Anima Mundi, sobre uma menina que reflete sobre si mesma e a relação com a mãe a partir do medo que tem de nadar, Entremarés, de Anna Andrade, de Pernambuco, que trata de mulheres de uma comunidade pesqueira em Recife e Angela, de Marília Nogueira, Minas Gerais, em que a protagonista com mania de doença tem seu mundo transformado com a chegada de uma vizinha. A diretora Marília é criadora do Cabíria Prêmio de Roteiro, voltado a roteiros escritos e protagonizados por mulheres.

Os representantes colombianos são Ausencia, de Andrés Tudela, em que uma camponesa idosa vive o luto póstumo por seu marido desaparecido na guerra civil,Destierra, de Juan David Mejía Vásquez, uma fábula sobre um menino que mora sozinho no campo, cuidando de sua casa até que um estranho chega e a animação Por Ahora Un Cuento, de Carla Melo Gampert, sobre uma viagem para a montanha entre pai e filha, em que um dos dois se tornará um monstro.

O documentário The End of Eternity, de Pablo Radice, filmado na Amazônia peruana, é resultado de uma oficina que teve como mentor o cineasta Werner Herzog e trata de mitos e sonhos coletivos da comunidade índigena Ese Eja. Da Venezuela, o representante é Fusilao, de María Laura Reina, em que o jogo chamado fusilao serve de metáfora acerca do cotidiano de um hospital no país. O chileno Cerca del Rio, de Andrea Castillo, fala da superproteção de uma mãe sobre os filhos.

Em Frontera, de Alejandra Planel e Marcelo Goyos, do Uruguai, dois irmãos precisam lidar com a mãe, que passa a morar com um deles. Do Paraguai vem a ficção Jagua Hu, de Hugo Giménez, sobre um lobisomem que quer se matar e contrata dois pistoleiros para o serviço, e Kirirî, de Miguel Aguero, que aborda a relação de uma avó e sua neta durante a ditadura de Alfredo Stroessner, ditadura essa que durou mais de 30 anos.

Da Argentina, estarão em competição a ficção Cabrita Sin Cuernos, de Sebastián Dietsch, considerado pelo INCAA o melhor curta independente de 2018, em que uma menina de 7 anos é interrogada por ter aparecido na escola com um livro soviético, possivelmente comunista, em plena ditadura; o documentário Blue Boy, de Manuel Abramovich, sobre garotos romenos prostituídos em Berlim, a animação Mi Otro Hijo, de Gustavo Fabian Alonso, sobre o que se passa com um pai cujo filho tem Síndrome de Down; Oyentes, de Fabricio Centorbi, em que uma garota denuncia ao vivo, num programa de uma rádio musical, um caso de violência de gênero; Trabalenguas, de Gretel Suárez, que trata de um caso de abuso contra uma menina e a dificuldade dela em contar o que aconteceu; Un Deseo, de Agustina Claramonte, no qual um idoso que vive numa casa geriátrica pede um difícil favor a sua neta e Una Receta Familiar, de Lucía Paz, historia que acontece durante um jantar, em que uma mulher conta para sua filha e neta que gosta de mulheres.

O 23º Florianópolis Audiovisual Mercosul será realizado de 26 de setembro a 2 de outubro em quatro pontos da capital. As exibições dos filmes do festival serão nas cinco salas do CineShow, cinema do Beiramar Shopping. As atividades de formação serão no Museu da Escola Catarinense, na Rua Saldanha Marinho, centro. O Encontro de Coprodução do Mercosul, no Hotel Majestic e a noite de premiação, no Teatro Álvaro de Carvalho - TAC. 

Matérias Relacionadas